terça-feira, 29 de novembro de 2016

TODA NOSSA FRAGILIDADE


                   Imagem de sea, sky, and water























  Deus, olho para os dias se passarem e percebo quão frágil somos. Na velocidade em que nos levantamos e logo nos repousamos para acordar novamente. Somos tão frágeis diante de tudo isso que vivemos todos os dias.

  Observo uma flor no jardim e me vejo ali. Não que eu queira me resumir assim. Mas é que reconheço tamanha fragilidade que há em mim. Em um momento estou aqui, a viver. Em outro momento posso não mais. E por tantas vezes quero ser tudo que não deveria ser. Do sucesso sou perseguidor, e da realização para a vida. Mas Pai, sou tão frágil.

  Muitos sonhos para realizar, né? Eu preciso correr um pouco mais aqui, e lá. Preciso ser mais do que fui ontem, me esforçar uma vez mais para alcançar. Ainda não foi o suficiente hoje Pai. Quantas coisas a fazer, então. Mas Pai, quão grande é minha fragilidade.

  Há cobranças por aqui  Deus, o Senhor bem sabe né? Eu preciso ir um pouco mais longe nessa manhã. O sol nasce e lá vou eu tentar outra vez, e chegar, e lutar, e tentar, e...

  Mas ao me deparar com o noticiário, parei. Talvez com uma xícara de café nas mãos. Pausei por um momento o que estava fazendo. A morte chegou. E quem pôde explicar? A morte chegou. Mas ninguém pôde contê-la? Não! Tantos anos a se contar ainda.... Não! Aí estava toda nossa fragilidade exposta em um noticiário pela manhã.

Segura-me.

  Percebi então, que primeiro de Ti preciso. E na velocidade deste mundo, há poucas pausas para pensar no quão vulnerável sou diante desse caos. Então Pai, segura-me em Tuas mãos. Sei que um dia, a morte poderá chegar, e partirei daqui. Mas não para sempre, pois na minha fragilidade te encontrei mais forte que a morte. Reconheci que nesta velocidade preciso pausar, e pausar, e pausar para não correr. Preciso mesmo é caminhar. Me entregar. Não ao caos deste mundo presente. Em Teus braços, que me seguram firmemente e me conduzem para o eterno lar, meu lugar. E ainda que, um dia. A morte me encontre por aqui. Ainda estarei Contigo, e é disso que preciso. Como preciso...

   Eu e todo o mundo. Reconhecer-Te, e viver Contigo. Segura-me Pai, em minha fragilidade, em nossa fragilidade. Segura-nos e conduze-nos, pois os dias passando estão, e aonde estaremos então no futuro que nenhum olho pôde ver?

   Eu quero estar ao Teu lado, quando tudo por aqui escurecer, em toda fragilidade do meu ser. És tudo que preciso para viver.


                 


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

OI! VAMOS CONVERSAR?

                Imagem de coffee, vintage, and indie

Oi, prazer! Meu nome é Alexandra. Tenho 19 anos, gosto de um bom café, biscoitos, pães ou bolos e uma boa conversa. A propósito, vamos conversar?

 Nas minhas idas e vindas de blog's, decidi criar esse agora apenas para postar sem hora nem data pré determinada. Mas como amo muito escrever, e compartilhar do que tenho aprendido, eu não consegui ficar sem fazer novamente uma página só pra isso. Já tive um blog chamado 'uma série de sorrisos', se quiser ver o que está guardado por lá, é só clicar aqui. Eu produzia diversos conteúdos lá, e isso demanda muito tempo e dedicação. Mas depois que entrei pra faculdade, esse tempo ficou muito reduzido. Por isso, entendi que não sou blogueira, apenas escrevo. E ter um lugar para compartilhar isso, me faz pensar no quanto posso escrever e alcançar/conhecer muitas pessoas e a história delas. Ah, não contei.. mas além de conversar, gosto muito de ouvir histórias da vida real. Tipo a minha e a sua sabe? Que tem drama, comédia, aventuras, e muita ação!

 Espero que você que está lendo este post interaja comigo também, através de comentários ou por uma conversa mais longa por e-mail (anota aí: lexandra_bh@hotmail.com). Se eu puder ajudá-lo com o que tenho aprendido com Jesus, ficarei ainda mais feliz.

 Mas e aí? Um café? Com açúcar ou sem?

Tecnologia do Blogger.
menina e prosa © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.